quarta-feira, 19 de março de 2014

Vamos lá recapitular...

Muito tempo... saudades dos tempos em que este blog andava mais activo... Aqui fica um post com fotos das actividades dos últimos tempos:

Trilho dos Budas - caminhada 30km 


Masters da Fitness 24-7

Mini-estágio de triatlo (Fevereiro)

Tri-treino em Vilamoura


Passeio pelo campo 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

2.ª Travessia de Natal - Porto de Recreio Guadiana


No próximo dia 28 de Dezembro haverá um evento de natação para os mais corajosos e solidários em Vila Real de Santo António, organizado pelo grande atleta e nadador, Nelson Mestre, homem da terra.

Para mais informações e para inscrições poderão consultar este link AQUI.

Boas festas a todos!

3.ª São Silvestre de Quarteira 2013

Já de volta, a começar a dar uns passinhos de corrida 1x por semana...

Hoje venho divulgar um evento em Quarteira, que organizo já pela 3.ª vez e que se vai realizar no dia 27 de Dezembro.

Convido-vos  a participar:


INSCRIÇÕES ONLINE AQUI: http://bit.ly/InscricoesSaoSilvestre

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Loooong Bike Ride

As últimas duas semanas foram complicadas para mim. 

Esta lesão que me impede de correr regularmente (foram apenas duas sessões de corrida em 2 meses com cerca de 30' de duração), começa já a provocar-me algum desgaste psicológico. Sempre corri, pelo menos desde os meus 11-12 anos. Já sofri de dores nos joelhos, que me obrigaram a parar durante 2 semanas seguidas, mas nunca mais que isso.

Quem adora praticar desporto e precisa disso no seu dia-a-dia como quem precisa de se alimentar, sofre muito. E quanto mais tempo passa, maior é a perturbação interior.

É que praticar desporto torna-se parte de um estilo de vida. É aquilo que nos completa, que nos faz sentir vivos, que nos anima, que nos dá uma desculpa para estar com os amigos com quem partilhamos a mesma loucura saudável. E quando isso acaba, é desconcertante.

É claro que não acabou totalmente, tenho ainda o ciclismo e outras actividades que me animam, mas como a corrida? Não, a corrida foi o meu primeiro amor.

Novidades do pé: na passada sexta-feira fui fazer uma ressonância magnética, mas ainda me falta fazer outro exame, cuja máquina só existe no hospital. Depois é ir mais uma vez ao ortopedista e tentar finalmente um diagnóstico. Neste momento, já só quero saber uma coisa: É para parar? Nunca mais vou poder correr sem dor? Acabou? Há solução? É preciso cirurgia? Qualquer coisa, é só isso que espero...

E por isso, há duas semanas morri um bocadinho, fiquei sem vontade de fazer nada e desisti um bocadinho de mim. Felizmente que este fim-de-semana melhorei e já vejo tudo com outros olhos.

O desafio de Dezembro (pedalar de Tróia a Sagres, na distância de 200km), já está novamente de pé. Tinha tirado essa ideia da cabeça há semanas, quando a vida se encarregou de me dificultar os treinos e perder a oportunidade de acumular mais km, mas com o apoio e incentivo da família, esta semana reconsiderei e voltei à estrada.

Praia do Carvoeiro

Ontem, fomos para os lados de Ferragudo e a caminho passámos por Carvoeiro, terra que ainda não tinha tido oportunidade de conhecer. Parámos na praia por alguns minutos, comemos algumas estrelas de figo e seguimos caminho.

Mi papi

Continua a ser uma das minhas actividades preferidas - andar de bicicleta com o meu pai (nunca partilhámos muitos momentos destes quando eu era pequena, apenas me lembro de andar sentada atrás na pasteleira dele - e talvez me lembre disso porque entalei um pé nos aros da roda e a dor imortalizou-se na memória). 

Não costumamos falar durante largos km, mas entendemo-nos bem. Ele já descobriu que ando mais devagar se vou atrás dele (psicológico) e por isso quando me vê mais cansada, coloca-se atrás de mim e diz-me que a minha velocidade média melhora. Nos dias bons em que é ele que está mais cansado e eu me sinto mais forte, por vezes ao terminarmos faz-me um elogio indirecto "Ena pá, estava complicado acompanhar-te agora no final", e claro, fico muito satisfeita, mesmo sabendo que nos separam trinta anos e algumas dores articulares. Só tenho pena que não possamos ir mais vezes juntos. 

A Fóia lá ao fundo.

Antes de chegar a Ferragudo, fui desfrutando da vista para a serra de Monchique. Recordei a épica viagem que fiz com os meus colegas a pedalar de Faro até lá acima à Fóia. Foi duro, mas uma experiência muito enriquecedora. Senti-me forte e com vontade de lá voltar. Em breve, em breve...

New shoes!!!

Finalmente tenho novos sapatos de ciclismo (neste caso, até são de Btt). Os que tinha desde há 1 ano, começaram a incomodar-me após os 15km, com dores nos dedos dos pés, em especial, sempre que subia. Acabava cada volta com dores nas unhas. Diagnóstico: tamanho pequeno demais. Agora uso orgulhosamente o n.º 42 da Shimano e estão perfeitos!
A seguir vem o investimento de sapatos de triatlo, que já foram encomendados, assim como os encaixes. No Inverno irei usar estes, e lá para Fevereiro-Março começo a usar os outros nalgumas voltas.



Foi uma volta longa, sobretudo porque fomos devagarinho. Não quis apertar demasiado com o corpo, especialmente porque estive com uma boa constipação que ainda me afecta a garganta e me deixa muito cansada. Ontem esqueci-me do medidor de FC, mas onde faria médias de 160bpm, julgo que ontem teriam subido para as 180bpm. Parecia um aspirador a respirar, naquelas subidas mais íngremes.

No final terminámos com 110km nas pernas. Eu sei, uma brutalidade, para quem não pegava na bicicleta à 15 dias exactos. Senti-me bem, não me senti cansada, mas fiquei com os joelhos muito doridos até esta tarde. Um erro: não apliquei gelo - tinha uma menina de 3 anos muito aflita à espera da mãe para ir brincar! Mas à noite tentei compensar com um gel anti-inflamatório.

E assim foi: uma excelente manhã num dia de perfeito Verão em pleno Outono.

Boas corridas para todos!


X Milhas do Guadiana 2013

No passado domingo foi dia de passeio e ir assistir à corrida das X Milhas do Guadiana, uma favorita a nível nacional, com um percurso de cerca de 17km.

Esta é concerteza daquelas que não queremos perder, pois liga Portugal à Espanha ou vice-versa. A cada ano, o percurso muda de direcção, ou seja, este ano a partida foi dada em Portugal e a meta foi em Espanha. Aqui temos a oportunidade única de atravessar a belíssima ponte internacional sobre o rio Guadiana e poder observar as diferenças organizacionais entre duas culturas, que embora próximas, são bastante distintas.


Infelizmente este ano, devido à minha lesão no pé, não pude participar na corrida, mas pude participar de outra forma igualmente agradável, a apoiar os amigos e demais atletas.

No final da corrida fui presenteada com a camisola da corrida, por um colega do triatlo, o puto Igor Guerreiro, o que muito me deixou muito feliz.



No final da competição, ainda deu para cumprimentar um amigo, o Nica, meu treinador de atletismo aos 19 anos. Foram belos tempos passados na companhia deste treinador e colegas.


Foi uma boa manhã, pois vim de lá com boas sensações. Rever amigos num ambiente de festa, como é sempre o ambiente nas corridas populares, sentir a adrenalina de ver amigos e tantos outros a superarem-se. Enfim, ... serviu-me de recuperador para a alma. 

Em breve, espero estar a fazer-lhes companhia do lado "de dentro".

Boas corridas, pessoal!




segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A Chuva e a Claudinha


Começam agora os dias cinzentos, alguns com chuva que nos podem trocar as voltas no que diz respeito ao nosso plano de treinos.

Na sexta-feira falhei a oportunidade de ir pedalar porque à noite me fui deitar a pensar que ia estar um grande temporal e que nem valia a pena considerar a hipótese de levar a Claudinha a passear nessas condições.

Tinha até às 8h30 para pedalar. De manhã acordo já perto das 8h e nada. Tudo seco! 
Grande chatice, pensei... Mas já não me enganam outra vez! 

No sábado, parecia estar mais ameaçador, mas lá me fiz à estrada às sete, tendo apanhado chuva só lá perto das 9h30, quase a chegar a casa. E senti-me óptima! Quem corre à chuva sabe como é óptimo e retemperador apanhar chuva durante um treino, na bicicleta também é óptimo, mas a adrenalina é superior, pois existe o factor de risco aumentado.

Sempre evitei a chuva no ciclismo. Nunca saía de casa, caso a previsão desse dia apontasse alguns chuviscos. Mas no ano passado tudo mudou, quando treinava para o Tróia-Sagres (evento em meados de Dezembro em que percorremos continuamente os 200km que separam Tróia da vila de Sagres a pedalar).
Um dia, ao sair de casa para pedalar o céu ameaçava chuva e passados 15 minutos começou a chuviscar, de imediato dei meia volta para trás. Numa pequena curva ali em Vilamoura, senti a roda a derrapar e as minhas bpm a subir a pique. 

Ok, sobrevivi, não foi assim tão mau... No entanto, nesse regresso ainda escolhi um percurso que não tivesse descidas muito inclinadas, pois o meu maior medo eram as descidas e ter de travar, mas ao chegar a casa reflecti sobre isto, falei com alguns amigos e achei que era altura de lutar contra este medo.

E teve de ser mesmo assim, pois tivemos um Inverno muito chuvoso e se tivesse deixado de sair com a Claudinha sempre que visse umas nuvens negras no céu, teria sido muito difícil acumular os km que precisava para cumprir o meu objectivo de pedalar os 200km.

No sábado passado derrapei duas vezes, e nesse momento pensei que cairia. Nesse dia relembrei algumas lições aprendidas no passado:

- evitar travar numa curva;

- ter muito cuidado com as riscas das passadeiras e outras linhas pintadas na estrada, para derrapar são do melhor;

- travar sempre antecipadamente, ou seja, não travar em cima do acontecimento, pois os travões molhados não respondem da mesma forma;

- evitar ao máximo as poças de água, nunca se sabe o que escondem;

- apostar na visibilidade com luzes, mesmo que já esteja de dia.

É claro que se estiver a chover no momento em que estou a sair de casa, provavelmente não saio. Evito a chuva pelo desconforto, e por uma questão de saúde também, pois andar durante 2 horas toda molhada e com frio não é decididamente a melhor sensação do mundo. No entanto se a apanhar a meio, já não é uma situação que me preocupa, como acontecia antes. 

Ainda agora me recordo de no ano passado ter apanhado em Albufeira uma chuvada tão forte que nem conseguia ver bem a estrada à frente. E ainda tinha 25km pela frente até casa. 
Mas sobrevivi, mais uma vez!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Back on Track


Mais que percorrer longos km, neste momento a minha prioridade é organizar-me mentalmente e começar a adoptar uma alimentação mais equilibrada, com menos açúcar, em especial. 

Comecei esta semana a tomar mais cuidado com o que consumo. Agora é um passo de cada vez a caminho de uma vida mais saudável!

Ontem à noite estreei-me a cozinhar tofu com quinoa e legumes salteados. Apliquei-lhe caril e fiquei satisfeitíssima com o resultado. 

Nem sempre é fácil cozinhar especificamente para mim, quando se tem uma família com duas crianças pequenas, mas também reconheço que não é impossível. Envolve apenas mais planeamento e organização.

Para quem ainda não está  muito familiarizado com a quinoa, trata-se de um alimento, um cereal com mais do dobro de proteína do trigo e outros cereais (com cerca de 14%), rico em aminoácidos essenciais, vitaminas, minerais e ácidos gordos.

Boas corridas e boas garfadas!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Corrida Solidária - Pequeno Relato


E assim foi, uma forma descontraída e, ao mesmo tempo, animada de terminar a semana, na passada sexta-feira, com toda a família à mistura.

Uns correram, outros caminharam, mas todos contribuíram de forma solidária para ajudar quem mais precisa. Houve sorrisos, conversas e o rever de caras amigas, tudo aquilo que adoramos nestes eventos.

Obrigada a todos os presentes e aos mentores desta iniciativa, o Luís Santos e o Marco Soares Pereira: foi um evento que me soube tão bem, abraçando uma causa e aberta a todas as idades!

No meu caso, não corri, mas fiz uma belíssima caminhada de cerca de 5-6km na excelente companhia da minha amiga Cristina. Vencemos as duas na categoria de Carrinhos de Bebé, já que fomos as únicas mamãs a empurrar as nossas meninas nos carrinhos e ainda a intercalar caminhada com corrida.

É claro que caminhar, não oferece as mesmas sensações de adrenalina de uma corrida, mas em boa companhia e a puxar bem pelo cabedal, é uma forma de exercício bastante saudável e compensadora.

Desta vez, deu para perceber que estou pesada, não só pelas fotos, mas pelo peso do derrière. Tomei consciência na sexta-feira de que tenho de tomar medidas sérias quanto à minha alimentação e treinos pouco regulares, caso contrário, o meu peso afectará seriamente o meu regresso às corridas, pondo em causa a minha participação numa maratona em 2014. 

So long, pão caseiro com queijo!!!! So, long Oreos!!! So long wafers de chocolate! So long M&M's!!!
Hello, Marathon!

Fotos da autoria de Luís Santos.


Alguns dos participantes deste evento!
(Fofo o pormenor da minha filha no canto inferior,
que teimava em não querer aparecer...Marota!)

Pais & Filhos
(O meu peixinho que já está quase um tubarão, no canto direito.
Há anos atrás,  este era o peixinho.)

Hello, everyone!

O nosso organizador, Luís Santos e eu.

Mais um grupo de bem dispostos!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Corrida Solidária

Vista sobre Quarteira
Marina de Vilamoura
Esta noite pelas 20h irei participar numa corrida solidária de apoio ao Daniel, um jovem de Quarteira que luta pela sua saúde. 

Uns amigos resolveram ajudar e organizar este evento que irá englobar 3 distâncias de 5km, 9,5km e 12km, entre Quarteira e Vilamoura.
 Estando limitada, irei participar na distância mais curta, na companhia dos meus filhos, provavelmente a caminhar.

Para mais informações, consultem a página de facebook do grupo "Corridas à 6.ª feira", peçam para aderir e pronto, é só aparecer hoje, às 20h na Praça do Mar em Quarteira.

Até já!

7 anos


Ah, pois é... 

Já passaram 7 anos desde que comecei a escrever neste espaço, que me tem oferecido boas experiências. 

Criei-o numa altura em que o mundo dos bloggers em Portugal ainda não tinha vivido o seu boom, sendo um espaço onde as pessoas começaram por partilhar as suas experiências, uns sobre corrida, outros sobre os seus hobbies, outros apenas sobre a vida em geral. Mas de uma forma relativamente solitária, com pouca comunicação entre bloggers, sem se saber se alguém iria ler o que se escrevia.

Nessa época, quis partilhar um pouco de tudo, com pessoas que partilhassem desta paixão pelo desporto, em particular a corrida, visto que aqui no Algarve praticamente ainda não existia o street running. 

Corria-se no ginásio como forma de aquecimento, ou corria-se de vez em quando quando se cometiam excessos, mas ver alguém correr com regularidade, era algo muito raro. Sempre que convidava algum(a) amigo(a) para correr, acabava sempre por receber uma expressão facial muito torcida, e um "obrigado, mas não gosto de correr".

Na altura tive a sorte de conhecer o blog da Ana, Maria Sem Frio Nem Casa (chiça, que após estes anos todos ainda não lhe perguntei por que raio escolheu ela aquele nome...). A Ana já andava nestas lides há algum tempo e provavelmente era a única mulher portuguesa com um blog onde partilhava um pouco da sua vida e das corridas. Mesmo à distância serviu-me de inspiração para me motivar a correr mais frequentemente. Felizmente, continuamos as duas bem activas e com muita vontade de continuar a blogar e a correr. Força, Ana!

Apesar de ter praticado atletismo como atleta federada no início da adolescência, houve ocasiões em que estive afastada da corrida por curtos períodos, mas de facto nunca me afastei totalmente. Foi sempre um acto solitário, raramente com companhia, algo que mudou há cerca de 3 anos, quando por uma razão inexplicável, comecei a convidar os amigos para correr e a coisa começou a compôr-se. Hoje, orgulho-me por ter iniciado pelo menos 10 pessoas na corrida.

E foi assim que me apercebi que a corrida tornou-se novamente numa moda, assim como foi o caso da ginástica aeróbica e step há 20-30 anos. Tornou-se um estilo de vida, para uma grande parte das pessoas. Felicidade!!!!

E assim, acredito que os blogs de corrida viveram o seu boom há cerca de 3-4 anos. A maior parte dos blogs que sigo pertencem maioritariamente a pessoas que se iniciaram há relativamente pouco tempo na corrida. 

E iniciaram-se muito bem! Os bloggers hoje em dia são muito activos, inovadores e têm contribuído bastante para as pessoas aprenderem, se encontrarem e correrem juntas, além de se motivarem umas às outras e servirem de inspiração para quem se quer iniciar,  e tudo isto numa escala bem maior do que se via há 7 anos atrás.

Por isso, venham pelo menos mais 7 anos de blogging, corridas e afins!

Boas corridas!