terça-feira, 2 de setembro de 2008

Trilhos de Monsanto 2008: Montanha Russa

Em cima: Tiago, Zé, Victor, Zen. Em baixo: Eu e o Tigre

Doem-me as ancas, as coxas, doem-me ambos os tornozelos, os pés e outras articulações, das quais desconheço o nome.
Monsanto é um espaço maravilhoso, verde, fresco, um verdadeiro pulmão no centro da capital. Mas é também um verdadeiro carrossel (nas palavras do amigo Zé Magro) ou uma verdadeira montanha russa (nas minhas palavras).
Saímos do local da partida e quando me deparo com a 1.ª grande subida penso "Isto é o pior que vamos encontrar".
Qual quê? Foi apenas a primeira de muitas subidas, a maior parte feita a andar a pé (mas não fui a única, há por aí muito bom rapaz que também teve de se pôr a passo).
As descidas metiam-me medo! Foi, na verdade, a parte que me custou mais, onde passei muito tempo a travar e a forçar as perninhas para não cair e ir de reboleta até lá abaixo...
.
Mas no final a sentença: foi uma corrida de aventura, muito diferente da estrada. Ali houve medo, houve risco, houve diversidade de terreno, ritmos e pessoas, houve verde e ar puro.
Esta minha primeira corrida de montanha foi muito dura, sinto-a ainda no corpo.
Mas tal como a maior das coisas que são difíceis, foi também muito saborosa e deixou saudades.
.
Nunca gostei de ir para uma prova sem conhecer o seu percurso, porque sei que é sempre uma desvantagem para qualquer atleta. Sei que se lá for no próximo ano, será mais agradável, porque agora já tenho uma ideia do percurso.
O treino de preparação será diferente, a mente também irá preparada para aquela dureza e saberei certamente gerir melhor o meu esforço.
Nunca pensei que fizesse o tempo que fiz (1h25'20''), mas como me disseram, os tempos em montanha são completamente diferentes. Na corrida de montanha, há mais com que nos preocuparmos. Além da distância, a dureza do terreno é, por si só, desafio que baste para nos testar.
No final, encontrei alguns amigos e companheiros de corrida: um abraço ao Zé, ao Tiago, ao Zen, ao Victor, ao Herculano e ao Tigre.
O primeiro atleta a concluir a prova foi Aires Sousa (V1) com 43'50''. A primeira senhora foi a Lucinda Moreiras (VF) com 51'30''.
.
Sem dúvida, uma prova que recomendo, para quem gosta de um bom desafio, dentro dos 12 kms.

11 comentários:

  1. Olá amiga Lénia .
    Essas dores são naturais ,pois é uma prova fisicamente exigente,eu próprio tenho ainda hoje 3ªfeira algumas dores musculares nas pernas na parte esquerda(curiosamente do lado direito,tou impecável).
    Foi um grande prazer rever-te e conversarmos mais um pouco.
    Efectivamente é uma montanha russa que exige muito de nós, mas que dá muitissimo gosto fazê-la,pois tem um percurso variado,nada monótono e belissimo, e que tal como me conquistou a mim o ano passado(pois voltei lá de novo,neste)certamente te conquistou a ti.
    Em 2009,melhor treinada,com conhecimento já do percurso,ainda a farás melhor e gostarás ainda mais.Quano ao tempo realizado, é como te disseram, tempo de prova de montanha e de estrada são coisas distintas,pois montanha é mais puxado ,e há muitas mais coisa que contam além do cronómetro,tais como a beleza dos locais onde se corre e o contacto mais próximo com a natureza.
    Quanto ao andar na prova,eu também andei em 2 ou 3 subidas mais acentuadas,mas isso faz parte duma prova de montanha,onde não se corre apenas.
    Beijinho e até uma próxima prova.

    Agora segue-se a meia de São joão das Lampas,que é menos dura que Monsanto e em principio uma prova de Carcavelos a Cascais de 10kms dis 21Set
    Eu estarei lá em muitas mais edições certamente.

    ResponderEliminar
  2. Olá Lénia

    Mente forte em corpo são, depois de traçados os objectivos não podemos vacilar nem um milímetro

    Não te preocupes com o peso, todos temos peso a mais depois das férias, vais ver que com a continuação dos treinos tudo volta ao normal, não podes é parar de treinar

    Abraço

    Victor

    ResponderEliminar
  3. Olá Lénia

    Pois eu que estou aqui, nunca fiz essa prova! Mas é famosa pela dureza. Considero que tiveste um bom desempenho (tomara eu...).

    Ainda bem que gostaste da "Montanha". Uma porta aberta para descobrires tantos e tantos cantinhos de Portugal, onde jamais se iria se não fosse a correr.

    Força e um beijinho

    Ana Pereira

    ResponderEliminar
  4. Estimada Lénia
    Acho que quando as provas são mais duras, maior é o prazer em terminalas.
    O que seria da vida sem algumas dificuldades???
    Bjinhos.

    ResponderEliminar
  5. Olá Lénia!
    Sou um atleta de Tomar. Se tiver possibilidade dê um salto ao tomaracorrida, local onde divulgo a modalidade na minha região.
    Estava a consultar vários espaços e vi na foto o Zé Magro. Parei para ler.
    Imagino as dores causadas por esse tipo de provas. O problema não é a subir, podemos caminhar. A descer é que causa mais complicações.
    Parabéns a todos pelo desempenho. 12 km em sobe e desce não é nada fácil.
    Continuação de boas corridas,
    Luís Mota

    ResponderEliminar
  6. Ola Lénia. parabens por éssa currida.éssas dores vâo passar.
    boa continuaçäo et boas curridas.
    antonio

    ResponderEliminar
  7. É verdade Lénia, poís não te deves lembrar de mim, no curso que frequentamos de hidroginástica há uns anos atrás, não muitos mas espero voltar a encontrar-te nas corridas de atletismo, poís tambem sou mais um atleta do pelotão, de Santiago do Cacém, não sei se te recordas do Fernando Mestre, um abraço...

    ResponderEliminar
  8. É verdade Lénia, poís não te deves lembrar de mim, no curso que frequentamos de hidroginástica há uns anos atrás, não muitos mas espero voltar a encontrar-te nas corridas de atletismo, poís tambem sou mais um atleta do pelotão, de Santiago do Cacém, não sei se te recordas do Fernando Mestre, um abraço...

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Olá Fernando Mestre,

    Claro que me lembro de ti, perfeitamente!

    Tenho pena que não tenhas deixado contacto. Gostava de saber o que tens feito.

    Xii, já passaram uns 5 anos, não é?

    Beijinhos e espero falar contigo em breve,
    Lénia

    ResponderEliminar